quinta-feira, outubro 22, 2009

Espelhado.

Odeio pessoas que se parecem comigo.
Espelhos, vazios e sem reflexo.
Imagens reais de algo que eu me tornei.
E eu deixei isso tomar conta.

E siga em frente com a vida,
Mesmo que pensando que quando você cai, alguém peca.
Não é bem por ai.
Mas eu não sou um homem que aconselha.
O destino é gentil, mas eu prefiro repousar na minha mente.

O que eu era odeia o que eu sou.
Mas o que eu sou ama o que eu me tornei.
E o que eu me tornei não quer voltar a ser o que eu era.
Eu odeio pessoas que me lembram o que eu fui.

3 comentários:

TrueOrFalse disse...

joão, eu já falei que eu fico tensa de comentar aqui, né? tudo o que vc escreve é tão...bem feito, que eu fico sem saber o que comentar uaheuhu.
Parabéns, sério (: e pelo menos vc sabe o que uma parte de vc ama oi odeia o que vc é, ou o que se tornou, eu nem isso sei. hahahhaa *:

Leonardo K disse...

me identifiquei com o poema.. muito bem escrito.
mas eu não tenho... rancor nenhum com o meu passado. com algumas exceções.
..

Laurinha B disse...

Acho que vou ter que ler de novo.