domingo, fevereiro 15, 2009

Hora da poesia!

Bem, amiguinhos, chegou a hora mais feliz do final de domingo: A hora da poesia!
Feita durante uma aula chata de algo que eu não lembro de que era, está pronta!


Tudo sobre minha loucura

Meu imaginário
Parte do pressuposto devaneio
Do meu psicológico patológico
Incansável, encontrável
Quem me dera, inacabado

E quando a razão se vai
A barreira entre real e imaginário some
E a mistura desse devaneio
É pouco para minha loucura.

Tudo sobre minha loucura
A minha rede de mentiras
Minhas teias de devaneio
Nada que se possa entender
Faz parte de tudo sobre minha loucura.

E quando estiver perto de entender,
Vai ver que foi apenas puxado
Para esse turbilhão de insanidade.
Caleidoscópio de fantasias doentias.



Essa foi a poesia com que gastei mais tempo, mas gostei muito do resultado.
Espero que curtam.

6 comentários:

Jean disse...

idéias estranhas, pensamentos confusos, um paradoxo infinito.
qnt mais se lê mais complexo fica. parabéns, mt bem escrito :]

Lucas disse...

ta com mtas antiteses e paradoxos


mas ta massa

tyul disse...

gostei ¦D

Gabriel disse...

Falando assim você até parece uma versão gótica do J.D.!

Laurinha B disse...

"Lucas disse...
ta com mtas antiteses e paradoxos


mas ta massa"
Tal eloquencia me assombra.

Gostei muito da poesia, faz pensar(essencial).
Em breve terei mais poesias no L-Bad. Mas prometo que vou postar alguma coisa ainda hoje.

Licianne disse...

"Quem me dera, inacabado"

"E quando a razão se vai
A barreira entre real e imaginário some
E a mistura desse devaneio
É pouco para minha loucura."


Chuchuzinho Jp! Gostei.