domingo, julho 05, 2009

Moldura.


Os retratos já não eram mais os mesmos
Não via mais seu antigo olhar.
“Olhos de cigana, oblíqua, dissimulada”, diria o autor que nada acrescentou em sua vida.
Sabia que seu olhar ainda era seu.
E as moldura, agora vazias, já a reservaram algo maior
Já havia reservado um futuro brilhante, uma vida incrível.
Mas o retrato da sua vida se apaga como a estrela que pretendia ser.
Interrompida pelo som metálico do desespero.

Um comentário:

Jean disse...

começou Julho com uma mt complexa pra minha humilde cabeçinha ._.