quarta-feira, dezembro 31, 2008

Odeio

Odeio quando você me vê, e eu tenho que fingir que não te vejo.
Odeio quando deixo minhas emoções controlarem minhas razões.
Odeio quando eu te vejo tão perto, e te imagino tão longe.
Odeio sonhar com você, mas odeio ainda mais acordar e ver que foi só um sonho.
Odeio ser um cara que tem vergonha de sua família em momentos inoportunos, quando só o que eu quero é conversar horas e horas contigo e esquecer do mundo.
Odeio o que passou, mas odeio mais ainda pensar no que poderia ter passado.
Mas o que eu mais odeio é te amar tanto que quero que você seja o mais feliz possível, comigo ou sem mim.




Desabafo.

Um comentário:

henrique disse...

Escreve muito bem, cara. Vou acompanhar.